PT | EN | ES

Dando continuidade às comemorações pelo Mês Internacional da Mulher, a Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) entregou, dez diplomas Mulher-Cidadã Leolinda de Figueiredo Daltro.

 

 A homenagem é conferida anualmente pela comissão a ativistas de diversas áreas envolvidas com a causa feminista. Entre as homenageadas estavam a coordenadora Geral do ELAS, Madalena Guilhon, e as conselheiras Rita Andrea e Schuma Shumaher.

“Dedico esse diploma ao movimento de mulheres do Brasil e ao trabalho desenvolvido no Cemina com a Rede de Mulheres no Rádio e a todos os grupos que temos financiado através do ELAS”, comenta Madalena
Foram homenageadas ainda em 2011: Iraci do Carmo França (Rio de Janeiro), Maria Aparecida Panisset (São Gonçalo), Norma Suely (Teresópolis), Rosana da Silva (Itaboraí), Sonia Maria Saturnino Braga (Niterói), Térphila Alves Castro (Rio de Janeiro) e Verena Bernini (Cabo Frio).
Sobre Leolinda Daltro

Natural da Bahia, a educadora Leolinda Daltro trabalhou com grupos indígenas em Goiás. Precursora do movimento feminista no Brasil, fundou, em dezembro de 1910, no Rio de Janeiro, o Partido Republicano Feminino, depois que a Justiça negou seu pedido de alistamento eleitoral. Também foi a responsável pela mobilização, em novembro de 1917, que reuniu quase cem mulheres, em marcha pelas ruas do Rio de Janeiro pelo direito ao voto. A rebeldia de Leolinda e de suas companheiras chamou a atenção da imprensa, provocou polêmica e deu visibilidade à condição feminina no Brasil. Ela foi a primeira feminista candidata às eleições municipais, em 1919.

Translate »