PT | EN | ES
No último dia 4 de maio aconteceu a primeira oficina de criação e produção audiovisual que o projeto Empoderadas vai realizar com estudantes da Escola Estadual Quintiliano José Sitrangulo, na Vila Carmosina, em São Paulo. Depois de realizarem um ciclo de debates com mulheres negras em março, as Empoderadas iniciaram a nova fase do seu projeto com uma aula sobre história do cinema mundial e brasileiro a partir de um recorte de gênero e étnico.
 
“Nosso primeiro encontro teve como tema a história do cinema clássico norte americano e Brasileiro com recorte étnico e de gênero. Entre os nomes das várias cineastas e realizadoras negras, foram citadas: Adélia Sampaio, Cristina Amaral, Eliciana Nascimento, Michele Andrews, Carolina Rodrigues, entre tantas outras… Ao longo do encontro exibimos trechos dos documentários das cineastas Lilian Santiago, Larissa Fulana de Tal e Luara Monteiro. O primeiro encontro foi conduzido pela Cineasta Renata Martins. A cada novo encontro uma profissional negra do audiovisual ficará responsável por tecer mais um fio desta colcha de fortalecimento”, conta Maitê Freitas, uma das responsáveis pelo projeto.
 
O projeto Empoderadas chegou às alunas da Escola Estadual Quintiliano José Sitrangulo com apoio do ELAS nas Exatas, a parceria inédita do Fundo ELAS com o Instituto Unibanco e a Fundação Carlos Chagas lançada para contribuir para a redução do impacto das desigualdades de gênero nas escolhas profissionais e no acesso à educação superior das estudantes.  Confira todos os 10 projetos apoiados pelos ELAS nas Exatas.
 
O objetivo do Empoderadas é desenvolver webseries com as alunas com histórias de vida de mulheres negras na ciência, além de exibir vídeos e promover rodas de conversa para fomentar o debate sobre a importância da participação de mulheres negras nas ciências.
 
“É tempo de questionar as histórias que nos foram contadas, ampliar repertório e criar novas imagens e narrativas”, destaca Maitê.
 
 
 
(Fotos: Karina Galdino)
Translate »