PT | EN | ES

Por que discutir gênero e raça nas escolas? Qual é o papel da gestão escolar na promoção da equidade? Essas questões serão o tema do II Diálogo ELAS nas Exatas, que o Fundo ELAS promove nos dias 27 e 28 de junho no Rio de Janeiro. Realizado com apoio do Instituto Unibanco e da Fundação Carlos Chagas, o encontro vai reunir ativistas e especialistas de todo o Brasil.

O objetivo é fortalecer os 10 projetos selecionados no ELAS nas Exatas, XX Concurso de Projetos do Fundo ELAS, lançado em parceria com o Instituto Unibanco e a Fundação Carlos Chagas para contribuir para uma maior inserção de meninas em carreiras nas ciências exatas e naturais, ampliando seu repertório de escolhas profissionais e de projetos de vida.

São iniciativas de organizações feministas, professoras e estudantes universitárias e de Associações de Pais e Mestres que estão desenvolvendo ações para estimular meninas e jovens do Ensino Médio a se envolverem com as ciências exatas – matemática, física, química, estatística, computação, tecnologia e ciências naturais em todo o Brasil (conheça aqui os 10 projetos). Haverá uma apresentação de cada projeto e momentos para intercâmbio de estratégias e troca de experiências.

Além das representantes dos 10 projetos apoiados, estarão presentes pedagogas, jornalistas, físicas, historiadoras e ativistas. No dia 27, acontece a mesa “Desigualdades de Gênero”, com a participação de Jacira Melo (Instituto Patrícia Galvão), Maria Lúcia Silva (Instituto AMMA Psiquê), Monique Eleotério (CAMTRA) e Larissa Santiago (Blogueiras Negras).

Em seguida haverá o debate “Por que discutir gênero nas escolas?”, com provocações de Rosana Heringer (Presidente do Conselho do Fundo ELAS e Professora da UFRJ), Antonia Ceva (Pedagoga e coordenadora de pesquisa na REDEH), Denise Carreira (Ação Educativa), Giovana Xavier (Professora UFRJ), Giovana Hau de Carvalho (Coletivo ¾) e Maria Julia Gouveia (Instituto Unibanco).

No dia 28, a mesa “ELAS nas Ciências” reúne as físicas Marcia Barbosa (Professora e pesquisadora da UFRGS), Katemari  Rosa (Professora e pesquisadora da UFCG) e Sonia Guimarães (ITA) e a bioquímica Debora Foguel (UFRJ e Academia Brasileira de Ciências).

O Fundo ELAS acredita que as escolas são espaços estratégicos para a desconstrução de conceitos preestabelecidos e a promoção da equidade e da transformação social. É urgente discutir equidade de gênero e de raça e direitos das mulheres nas escolas e para que meninos e meninas tenham uma vida sem violência e com as mesmas oportunidades.

Acompanhe novidades sobre o II Diálogo ELAS nas Exatas na página do Fundo ELAS no Facebook.

 

Translate »